Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Catenaccio

O Catenaccio

Numa altura em que o nome de Fredy Montero vem à baila como possível substituto de Paulinho, trazemos à mesa de opções o goleador do CS Marítimo: Rodrigo Pinho.

pinho1334ed5fdefaultlarge_1024-1024x650.jpg

O agora internacional português, Paulinho, está na iminência para sair do clube bracarense em janeiro. Segundo a imprensa nacional, a Premier League perfila-se como destino mais provável. Desta forma, faço uma comparação entre Fredy Montero (antigo jogador do Sporting CP) e Rodrigo Pinho.

O colombiano está com 33 anos, e desde que saiu de Portugal, após a segunda passagem pelo clube de Alvalade, marcou 13 golos em 49 jogos pelos Vancouver Whitecaps. A qualidade não se coloca em questão, mas o prazo de validade sim. E se em 2019, Montero deixou o Sporting porque já não rendia o suficiente…. Será que é agora que vai render no SC Braga?

Do outro lado da moeda está Pinho. O ponta de lança de 29 anos chegou a Portugal precisamente pela porta do Braga, em 2015. Começou pela equipa B dos minhotos, tendo pelo meio um empréstimo ao CD Nacional. Quando regressou, fez apenas três golos em 14 partidas.

Na quarta época com as cores do Marítimo, assume-se como um dos goleadores do campeonato, fora dos três grandes e Braga. Conta já com oito golos em outros tantos jogos, a dividir entre Liga NOS e Taça de Portugal. Numa fase tão prematura da temporada, encontra-se apenas a três golos dos 11 que marcou em 2017/2018, naquela que foi a sua melhor época de sempre.

Canhoto, móvel e com uma diversidade de recursos impressionante… Ora digam lá se não faz lembrar Paulinho. Salvo alguns pormenores em que o português está acima do brasileiro, são muito semelhantes a nível de caraterísticas.

Capturar.PNG

Penso que as razões do insucesso de Pinho no Braga se prendem com a maturidade competitiva que o avançado ainda não tinha atingido em Portugal, bem como a reduzida quantidade de “assistentes” no plantel, comparativamente com a que existe atualmente.

Hoje, Rodrigo Pinho é mais experiente e letal na finalização. Melhorou ainda parâmetros como a agressividade na perda da bola e o jogo aéreo. É muito completo. O único senão é a idade. Ainda assim, penso que pode fazer quatro/cinco anos a alto nível.

Carlos Carvalhal é um grande conhecedor do panorama nacional, e se procurar uma solução para o presente que lhe garanta qualidade, Pinho é o ideal. É de referir ainda que termina contrato em junho de 2021, podendo assinar com qualquer clube já em janeiro.

Se não apostarem nele cá dentro, cheira-me que vai para as Arábias - onde habitam vários treinadores lusos. Quem também partiu recentemente para o “deserto” foi Fábio Abreu. O ponta de lança (ex-Moreirense), a quem eu via potencial para jogar num patamar maior dentro de portas.

É pena.

 

Fonte das imagens: CS Marítimo ; Rede social do jogador

Redigido por: Filipe Carvalho