Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Catenaccio

O Catenaccio

-.jpg

Diogo Almeida chegou ao SL Benfica com grande alvoroço em janeiro de 2020. Com interessantes prestações ao serviço da equipa principal do FC Paços de Ferreira, mas sobretudo com créditos firmados nos juniores dos “castores” (27 jogos, 19 golos), que lhe anteviam uma afirmação pronta nas equipas secundárias dos “encarnados” e a posterior promoção.

No entanto, não foi isso que aconteceu. Contratado por 500 mil euros, Diogo Almeida tinha vida difícil no plantel principal, tendo em conta a consistência de Carlos Vinícius ou as recorrentes apostas em Haris Seferovic e Dyego Sousa. Depois, o atribulado final de temporada, adiaram a aparição de um jogador que acredito que tenha sido “escolhido” por Bruno Lage – pelas caraterísticas de ponta de lança pressionante e agressivo.

Na segunda metade da época passada, participou apenas em dois encontros (um pela equipa B e outro pelos sub-23). Na temporada atual ainda não fez qualquer jogo, apesar de vir a ser convocado por Renato Paiva. Se quando Gonçalo Ramos ainda vivia nos “bês”, a opção pelo melhor marcador da Segunda Liga (7 golos em 3 partidas) era compreensível, agora, o único avançado para rivalizar com Almeida é Daniel dos Anjos – jogador em que não se perspetiva qualquer possibilidade para atingir o patamar para integrar os escolhidos de Jorge Jesus.

taca-de-portugal-pacos-de-ferreira-x-famalicao.jpg

Almeida é um ponta de lança robusto. Com 1,84m, o internacional sub-20 por Portugal goza de uma estrutura atlética fora do comum, comparativamente a outros jogadores da sua faixa etária. É veloz, matreiro e de “choque”. Admito que tenho curiosidade em voltar a vê-lo atuar, tendo em conta que está há mais de seis meses sem jogar semana após semana. Pode ser uma alternativa, ou até um complemento a Daniel dos Anjos na frente de ataque.

Resta esperar para ver se Diogo Almeida terá espaço (porque tem condições) para jogar, principalmente na equipa B, uma vez que já possui uma maturidade acima dos atletas que costumam jogar na equipa de sub23 (apesar dos seus 20 anos), ou se irá ficar “encostado” à espera de um empréstimo.

Com isto, questiono: Diogo Almeida terá sido mais uma “oportunidade de negócio” (expressão muito em voga na realidade atual) para a gestão de Luís Filipe Vieira, ou um pedido expresso de Bruno Lage?

 

Fontes das imagens: SL Benfica e Vítor Parente/Kapta+

Artigo redigido por: Filipe Carvalho