Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Catenaccio

O Catenaccio

Nesta rubrica iremos abordar semanalmente temas que nos inquietam, tentando entender as questões envolventes de cada problemática e ir em busca de uma solução viável.

A novela uruguaia com palco na Europa intitulada “Cavani” parece não esgotar o argumento, e ainda não acabou. Cerca de um mês e meio de episódios diários com novos acontecimentos, mas sem desenvolvimento na história.

psg.jpg

A possível mudança do ponta de lança uruguaio Edison Cavani para o SL Benfica tem sido um dos assuntos mais falados em termos de transferências neste mercado, não só a nível nacional, onde faz vender jornais diariamente, tendo também repercussões na imprensa estrangeira.

Depois de nomes conceituados da imprensa relacionada com o mercado futebolístico garantirem Cavani no Benfica, falando-se num contrato de três épocas com o salário a rondar os dez milhões de euros anuais, Rui Costa, administrador da SAD encarnada, admitiu que as negociações estão fechadas devido ao clube não aceitar as exigências do jogador.

Em todo este processo existem, no meu ponto de vista, três pontos principais que poderão afetar o desempenho do plantel e o apoio da massa associativa a toda a estrutura das “águias”.

Começando por analisar o próprio jogador, Cavani é um dos melhores pontas de lança dos últimos anos, e mesmo aos 33 anos de idade o seu nome continua a ser sinónimo de golos. O grande problema é o seu ordenado astronómico, que obrigaria a um enorme esforço financeiro por parte do clube. E daí poderia surgir outra questão: Sendo o jogador mais bem pago do plantel e portador de um ego gigante, não poderá ter um efeito negativo junto dos seus companheiros?

Esta transferência também poderia, ou ainda pode se este cancelamento de negociações for um golpe teatral para uma chegada em grande, ser a garantia da continuidade de Luís Filipe Vieira no lema dos encarnados. Com a aproximação temporal das eleições presidenciais no Benfica e com a crescente contestação a LFV após o seu envolvimento em enumeras polémicas financeiras, juntamente ao completo falhanço do projeto europeu e a recente perda de todas as competições, o atual presidente precisa de golpes publicitários como Cavani que sustentem o seu projeto.

Apesar da aposta na formação e cada vez estar mais próximo de uma equipa “Made in Seixal”, esta não trouxe os resultados esperados, e é esse o fator principal que movimenta a massa associativa. Os adeptos estão com fome de títulos e com saudades de ver bom futebol, como Jorge Jesus tão bem proporcionou na sua primeira passagem pelo clube da Luz. Cavani poderá ser a estrela da companhia que faltava no projeto. Um astro de renome mundial, com experiência nos grandes palcos mundiais, que tem poder de decisão e capacidade de dar títulos.

O que há a retirar desta novela é basicamente a mesma conclusão de sempre no futebol atual. As empresas (clubes) procuram sempre obter um produto (jogadores) que seja atrativo para os consumidores (adeptos). O mercado é regulado pela quantidade, qualidade e procura. Os serviços de Cavani têm selo de qualidade, apenas cabe ao Benfica decidir se o que pretende do jogador corresponde às condições salariais exigidas.

 

Fonte da imagem:  Paris SG

Redigido por: Diogo Mimoso Ferreira