Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Catenaccio

O Catenaccio

Nesta rubrica iremos semanalmente abordar temas que nos inquietam, tentando entender as questões envolventes de cada problemática e ir em busca de uma solução viável.

O desabafo desta semana traz um formato um pouco diferente do habitual, mais em jeito de antevisão do que de reflexão. Apesar de ainda faltarem algumas jornadas para o final da Premier League e de muitos lugares importantes (como os de acesso às competições europeias ou de despromoção) estarem em aberto, o título de campeão está já entregue ao Liverpool e, portanto, a época de antevisões para a luta pelo topo da liga em 2020/21 está aberta.

Capa.jpg

Como qualquer época em Inglaterra, mesmo naquelas em que o campeão tem mais de 20 pontos de avanço sobre o segundo classificado, como é o caso da atual, a emoção e a competitividade em cada partida deixam qualquer adepto de futebol “colado” ao seu ecrã. Neste prisma, a próxima temporada não será diferente: as 20 equipas que compuserem a Premier League entrarão determinadas em cada uma das 38 jornadas e, consequentemente, procurarão amealhar pontos em cada jogo, cada uma visando os seus objetivos particulares a longo prazo.

Falando nos objetivos a longo prazo, com incidência naquela que será uma luta pelo título que prevejo muito mais equilibrada do que a atual, várias são as equipas que se perfilam como candidatas ao lugar cimeiro da competição. Do recém-coroado campeão Liverpool ao bem-reforçado e poderoso Chelsea, passando pela emergência iminente do Newcastle como uma potência financeira, o campeonato ainda não começou e a luta já “ferve”.

Começando pelo campeão, os “Reds” vão voltar com toda a intenção de revalidar o título, e como “não há fome que não dê em fartura”, podemos estar perante o início de um período de domínio da equipa de Jurgen Klopp. Com um grupo coeso e que demonstra uma união que parece inquebrável, ao que se junta a perfeita interiorização do eficiente esquema tático do técnico alemão, este Liverpool tem vencido e convencido todos, incluindo adeptos de clubes rivais. Campeões de Inglaterra, da Europa e do Mundo, estão já entre as melhores formações da história do futebol, razão mais do que suficiente para serem os meus favoritos ao título da próxima época.

Rosto.jpg

Contudo, e começando a perfilar os candidatos a destronar a formação da cidade dos Beatles, o rival mais direto das últimas temporadas, o Manchester City, vai querer mostrar que esta época foi um caso excecional e regressar aos registos de 2018/19, onde bateram o recorde de pontos e de golos marcados da Premier League. No entanto, e apesar de continuar a ser um conjunto recheado de estrelas, a equipa comandada por Pep Guardiola parece estar a “desmoronar-se” lentamente, ressentindo-se da perda do seu líder Vincent Kompany e enfrentando algo semelhante com a saída de David Silva.

Assim, na minha opinião, e salientando que é ainda muito cedo para prever como as equipas se comportarão, a mais séria ameaça poderá ser o Chelsea. Com uma equipa recheada de jovens talentos, categoria na qual se inclui o treinador, Frank Lampard, as chegadas de Timo Werner e Hakim Ziyech prometem elevar o ataque dos londrinos para um patamar de topo. O que poderá distanciar a equipa do sucesso, caso o meio-campo se mantenha intacto, é o centro da defesa, sendo importante a chegada de um defesa central já com provas dadas e que pudesse comandar as operações dos “Blues” nesse setor.

Para finalizar, e para além destes três candidatos, que me parecem ser os que terão mais legítimas aspirações a serem campeões, há ainda duas equipas que poderão estar perto do topo: Manchester United e Newcastle United. No caso dos “Red Devils”, muito irá depender do mercado de transferências e da forma como a equipa for reforçada, uma vez que um dos seus principais “calcanhares de aquiles” foi a falta de profundidade no plantel. Já no caso dos “Geordies”, caso a aquisição do clube por parte da família real da Arábia Saudita for concretizada, antevê-se um mercado de verão em grande e, consequentemente, o ataque a novos objetivos na tabela classificativa.

 

Fonte das imagens: Premier League e Liverpool FC

Redigido por: Alexandre Candeias

Pág. 1/10